Após todo o processo de gravação e masterização do seu disco, chegou o momento dos ajustes mais técnicos. Assim, nesse momento é importante que você saiba sobre os processos de de fabricação de CDs. Existem duas formas para fazer a confecção do seu disco; a prensagem e a duplicação. Dessa maneira, nesse blog post, nós vamos te contar tudo que você precisa saber sobre o método da prensagem de CD. Bem como as vantagens e desvantagens que ela oferece.

Se você está em dúvida sobre os processos após a gravação do seu CD, confira também nosso post sobre a arte gráfica do seu disco.

O que é a prensagem de CD

Como você já deve saber, depois da gravação das músicas você recebe um CD master com sua obra. No entanto, se recebe apenas uma cópia. Então, para a distribuição física você precisará dos serviços de uma fábrica de CDs. A prensagem é um dos métodos de multiplicação do CD matriz.

Assim, a prensagem produz cópias idênticas ao modelo original. A multiplicação é feita através de um stamper e reproduzida em policarbonato, material muito utilizado na fabricação de mídias ópticas. Dessa maneira, a reprodução ocorre no âmbito do disco máster e não apenas das informações contidas nele. Esse é o processo de multiplicação por prensagem de forma resumida.

Prensagem ou duplicação?

Outro método de reprodução da sua obra é a duplicação. Assim, no momento da fabricação, muitos artistas e músicos ficam em dúvida por qual método optar. Ambas as técnicas tem o objetivo de de gerar cópias do CD máster. No entanto, o processo pode gerar diferenças significativas no resultado final.

A duplicação é feita através da gravação a laser em mídias ópticas virgens, inseridas dentro de uma torre profissional. Dito isso, é necessário avaliar diversos fatores para escolher a melhor opção para você. Sendo eles; qualidade do produto final, custo do processo, tempo de fabricação e qual o seu objetivo com esse material.

A duplicação oferece maior agilidade e economia, pois o processo de fabricação é mais acelerado e o custo é ligeiramente menor que o da prensagem. No entanto, ela não mantém a qualidade da obra original, o som sofre, de fato, uma alteração na qualidade. Assim, essa seria uma ótima opção se você busca distribuição gratuita ou fornecer amostras do seu trabalho em shows e eventos.

Por outro lado, a prensagem, por fazer cópias idênticas ao disco original, mantém a qualidade do som. Assim, o resultado final é um produto muito mais seguro e profissional. A alta qualidade se deve a um alto nível detalhamento no momento da reprodução dos dados. Assim, é assegurado o padrão de segurança que protege a obra de direitos autorais, por exemplo. Outro ponto importante é que se seu objetivo é a venda para o consumidor final, a prensagem de CDs é a melhor opção. Isso porque muitas distribuidoras sequer aceitam os discos reproduzido pelo método de duplicação, por causa da qualidade do produto. Dessa maneira, o custo benefício da prensagem de CD se mostra bem melhor que a da duplicação.

Você ainda não gravou seu CD e está em dúvida com relação ao processo e aos custos disso? Então, acesse nosso post onde te contamos tudo sobre quanto custa gravar um CD.

Assine nossa news e fique ligado!

Não se preocupe, não enviamos spam!